segunda-feira, 6 de julho de 2009

MEDF 15 Anos:Um olhar sobre a educação dos filhos de Ibicuitinga


A Escola E.E.F.M. Maria Edilce Dias Fernandes, está localizada na Rua Capitão Manoel Antonio, S/n com o telefone para contato (88) 3425 1000, distante 1.256m do centro da sede do município de Ibicuitinga, Estado Ceará.

A escola é tambem conhecida como “escola do alto”, por sua construção ter sido edificada em um terreno alto que possibilita uma visão panorâmica da cidade e comunidades vizinhas.

Tendo sido inaugurada no dia 07 de janeiro de 1994, com o nome de Escola Estadual Maria Edilce Dias Fernandes em homenagem a uma professora antiga da rede estadual e falecida na época. Porem sua criação só aconteceu mesmo,no dia 14 de julho de 1994, por lei Estadual Decreto nº. 23.301 para funcionar com o Ensino Fundamental. Posteriormente foi alterada pelo decreto nº. 24.706 de 11 de novembro de 1997 para funcionar também como Ensino Médio.
A construção desse estabelecimento veio atender a necessidade que os alunos e professores vinham enfrentando a bastante tempo. Visto que os professores antes da emancipação do município de Ibicuitinga em 1988, executavam suas atividades em escolas publicas municipais na cidade ate o momento em que questões internas da política partidária resultou na impossibilidade desse acesso. Daí em diante passou-se para denominação de Escola Reunida de Ibicuitinga, assim chamada por que os professores lecionavam em garagens, depósitos e outros espaços, devido a inexistência de um espaço próprio. Esse quadro perdurou por alguns anos até que a comunidade se conscientizou que fazia-se necessário um local apropriado e garantido por lei para que acontecesse uma educação de qualidade.
A escola desenvolve um papel de muita importância para sociedade, pois ela visa preparar não somente o aluno, mais um ser social, consciente de seu dever de cidadão, para viver em harmonia com os outros. Por isso, qualquer que seja problema reconhecido pela comunidade escolar, ela sempre implementa ações que representam e buscam os nosso valores, numa perspectiva de resgatar os nosso jovens do caminho no qual se perderam e vivem a vagar com sua auto-estima baixo.

DIREÇÃO:
Atualmente o escola tem em sua direção o Professor Max Well que com sua competencia e visão de trabalho vem cada vez mais ampliando os horizontes do saber para os educandos de Ibicuitinga. O mesmo foi eleito em eleição realizada no dia 18 de março de 2009, e conta em sua gestão com o apoio da ex diretora e atual coordenadora Maria Eunice Aves.
QUEM FEZ A HISTORIA

Sendo a historia toda ação humana, destacaremos aqui pessoas que no nosso ponto de vista fizeram acontecer, isto é, suas ações contribuíram e muito para o papel desenvolvido pela escola para a comunidade em geral.
Destacaremos aqui uma das antigas professoras da rede estadual do município, professora Rita Maia da Cunha, que participou do processo de construção da escola, enfrentou os tempos difíceis para exercer sua função de educadora, embora seja conhecida como ela própria fala; como uma professora exigente, esteve a frente da sala de aula durante 30 anos e a 5 se encontra exercendo a função de regente de multimeios na mesma escola sendo lotada como professora de Filosofia e Sociologia.

O professor Max Well Maia, outra figura marcante na história da educação, um jovem que já concorreu duas vezes ao cargo de diretor da escola e conseguiu o êxito nas duas administrações, mostrando um ótimo trabalho, sendo que também já esteve a frente da diretoria da CREDE 12, na cidade de Quixadá.

A escola por não dispor de merenda escolar, conta com a participação de vários vendedores ambulantes que trazem seus lanches para serem vendidos na escola na hora do intervalo, facilitando a vida dos educandos que teriam que deslocar – sem até a sede para obter o lanche, neste trabalho destacaremos a figura de Antonio do pastel que todos os dias exerce com alegria sua contribuição para com a educação.


O Ibicidade.com esteve conversando com a regente de Multimeios Sra. Elienice Rabelo que já atua a 11 anos na referida escola.

"MEDF 15 ANOS – CONSTRUINDO A CIDADANIA

A E.E.F.M. Maria Edilce Dias Fernandes Comemora no próximo dia 14 de julho seus 15 anos de existência.
Durante todos esses anos nós que fazemos um pouco parte da sua história a chamamos carinhosamente de “Família MEDF”e procuramos no dia-a-dia vencer os desafios e obstáculos que nos apresentam. Sabemos que não somos 100%, mas dentro das nossas possibilidades procuramos ofertar o que de melhor temos para com a nossa clientela.
Nossa missão é garantir a aprendizagem de qualidade e o sucesso do nosso aluno, como também sua permanência na escola.
Tendo o aluno como foco procuramos na nossa rotina escolar garantir também a construção da sua Cidadania e desenvolver melhor suas competências e habilidades, pois sabemos que a Aprendizagem é um processo o qual não podemos restringi-la somente a horas aula em sala de aula, mas sim com projetos e atividades com vista na otimização de um melhor desempenho.
Queremos portanto, parabenizar a todos os segmentos da Escola Maria Edilce pelos seus 15 anos de Existência e desejar que a cada dia possamos nos fortalecer e da continuidade na Construção da sua Cidadania.
(Elienice Rabelo - Regente de Multimeios)
As festividades dos 15 anos da Escola Maria Edilce acontecerão do dia 14 até o dia 31 de julho. Na abertura será realizado um culto de ação de graça e tambem uma missa e haverá dance abrindo as festividades.
No encerramento acontecerá uma gincana onde alunos irão mostrar o que sabem sobre a historia desta escola que vem educando jovens de Ibicuitinga para a cidadania.
Serviços:
Escola Maria Edilce Dias Fernandes
Telefone: 3425 1000
Email: emedfibi@emedfibi.seduc.ce.gov.br
Fonte de informações da Escola: Pesquisa na web
Agradecimentos: Diretor Max Well
Por: Adriano Silva - Ibicidade.com
Materia Postada no blog:Ibicidade.com dia 05/07/2009

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Psicopedagogia Institucional (Portugués)
Quem é o PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL numa instituição de nível superior?

Esta é uma pergunta que surge em torno da profissão que nasce através de uma proposta de interdisciplinaridade. Interdisciplinaridade aqui surge no "diálogo" entre duas disciplinas que transpõem o espaço da subjetividade de um indivíduo buscando delinear com clareza , os sujeitos e as disciplinas. Não nos cabe propor " atividades e treinamentos para indivíduos com problemas de aprendizagem e comportamento baseados em teorias comportamentais, como sugere a Psicologia Educacional nem definir métodos, técnicas e estratégias de ensino como propõe a Pedagogia mas cabe-nos ocupar um lugar que está na inter-relação da ensinagem e da aprendizagem" afirma Maria Gasparian

[1]. É auxiliando na identificação dos problemas no processo de aprender , é lidando com as dificuldades de aprendizagem através de instrumentos e técnicas específicas através da articulação de várias áreas , que o psicopedagogo interfere na aprendizagem. Apoiando-se em pressupostos científicos da Psicanálise, Epistemologia genética , Psicologia Social , da Linguística... que a PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL busca suporte para responder aos sintomas da problemática de ensino - aprendizagem.

"A PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL é uma atividade nova " afirma a diretora da Associação Brasileira de Psicopedagogia Nacional Maria Cecília C. Gasparin e continua , " minha formação na PUC no ano de 1995 foi o primeiro ano e a primeira turma do curso e na época não tínhamos bibliografia para ser consultada...". Diante de tais evidências seria possível conceber a atuação da PSICOPEDAGOGIA em instituição de nível superior? Mesmo diante da novidade da PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL como ciência, lidar com o sujeito epistêmico , basicamente o ser que adquire conhecimento, não é novidade. Entretanto, havia uma lacuna que necessitava ser preenchida .

Toda queixa constitui um sintoma, a função da PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL é investigar a queixa . Entretanto, para tal fim , é necessário trabalhar com a pessoa do profissional que está atuando com indivíduos que não estão conseguindo aprender, que estão com dificuldades de aprender ou ainda que mesmo diante do fato de estarem se profissionalizando não se reconhecem como futuros profissionais na respectivas áreas de atuação. A atuação do PSICOPEDAGOGO não se restringe, desta maneira, a análise de grades curriculares e planejamento de ensino " vamos trabalhar com a pessoa deste profissional em ativa relação com o seu saber adquirido no decorrer da sua vida , dando significado a sua prática" conclui Gasparin.

Poucos são os trabalhos dedicados a determinar como o adulto dotado das mais complicadas estruturas formalizantes, limita sua atividade cognitiva a níveis , às vezes de regulação intuitiva e, só diante da estimulação especial da prova, sai de uma espécie de letargo mental que o reduz a dependência intelectual. É claro que uma análise sócio-econômica das superestruturas educativas nos permite compreender porque o sujeito acaba sendo alienado da ignorância , mas necessitamos verificar qual estrutura possibilita a disfunção da inteligência e como isso acontece

"... A Antropologia , a Lingüística e a Psicanálise Aplicada tem deixado de lado o tema do tabu do conhecimento, evidenciado na Árvore da Sabedoria, cujas tentadoras maçãs , arrebataram ao homem, simultaneamente, a inocência e o paraíso; quando se faz menção ao ato heróico do semi-Deus Prometeu, cuja dádiva transformou, em homo faber, o selvagem nômade, não se salienta nem pontua este aspecto simbólico do mito, que não se contradiz com a interpretação delineada em Sobre a Conquista do fogo (1932) [2] ".

Teria uma nova ciência como a PSICOPEDAGOGIA uma delimitação no campo de trabalho em instituições de terceiro grau , de maneria que, pudesse intervir nas estruturas formalizantes que limitam a atividade intelectual do aluno adulto concorrendo para a má qualidade do ensino superior? O PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL atuaria com dificuldades nos níveis de aprender tanto do " ensinante " como do " aprendente ". Atuando nas condições de aprendizagem que ocorrem a nível externo e interno "... as externas , que definem o campo do estímulo, e as internas que definem o sujeito... podem estudar-se em seu aspecto dinâmico, como processos, e em seu aspecto estrutural como sistemas. A combinatória de tais condições nos leva a uma definição operacional ([3]) da aprendizagem, pois determina as variáveis de sua ocorrência[4] " , caberá ao PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL avaliar se as motivações são ligadas à satisfação proveniente do próprio exercício da ação ou do prazer proporcionado pela equilibração em si mesma.

O problema de aprendizagem , diante do exposto, é um sintoma([5]) no sentido de que o não aprender não configura um quadro permanente, mas ingressa numa constelação peculiar de comportamentos, nos quais se destaca como sinal de descompensação . A dificuldade de aprendizagem no aluno adulto deverá ser analisada com o propósito de entender o significado que esta não-aprendizagem representa.

"A hipótese fundamental para avaliar o sintoma que nos ocupa é não considerá-lo como um significante de um significado monolítico e substancial, mas pelo contrário, entendê-lo como um estado particular de um sistema que, para equilibrar-se, precisou adotar este tipo de comportamento que mereceria um nome positivo, mas que caracterizamos como não-aprendizagem " afirma Paim.

Entretanto, o PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL, deverá ter em mente que este diagnóstico é uma hipótese e que cada momento da relação com o sujeito através , tanto do processo diagnóstico como no "tratamento" , nos remeterá ajustá-la desde que as transformações obtidas a partir desta hipótese sejam aplicáveis por ela mesma. Tratando-se de um diagnóstico multifatorial as articulações e compensações mútuas que compõem o quadro total deverão desta forma, serem analisadas.

A preocupação com os problemas de aprendizagem teve origem na Europa, ainda no século XIX, tendo sido estudado por filósofos , médicos e os educadores. Basicamente a ênfase era na reeducação . Nos fins do século XIX foi formada uma equipe médico-pedagógica pelo educador Seguim e pelo médico psiquiatra Esquilo passando a neuropsiquiatria infantil a estudar os problemas neurológicos que afetam a aprendizagem . Conforme Mery (1985)[6], em 1946 foram fundados e chefiados por J. Boutonier e George Mauco (1959, p.5) os primeiros Centros Psicopedagógicos onde se busca unir conhecimentos da Psicologia, Psicanálise e Pedagogia para tratar comportamentos sociavelmente inadequados de crianças, tanto na escola como no lar, objetivando sua readaptação. A partir de 1948, entretanto, o termo Pedagogia curativa passa a ser definido, segundo Debese, como terapêutica para atender crianças e adolescentes descapacitados que possuíam maus resultados. A Psicopedagogia curativa introduzida no Centro de Psicopedagogia de Estrasburgo, França, poderia ser conduzida individualmente ou em grupos, sendo entendida como " método que favorecia a readaptação pedagógica dos alunos' uma vez que pretendia tanto auxiliar o sujeito a adquirir conhecimentos , como também, desenvolver a sua personalidade. A Pedagogia Curativa situa-se no interior daquilo que hoje chamam de PSICOPEDAGOGIA, afirma Bossa.

Confirma-se , desta maneira, que a preocupação com a não - aprendizagem restringia-se a crianças e adolescentes. Entretanto, a ênfase era na reeducação. Com as mudanças de paradigmas , a sociedade passa a exigir um ensino que proporcione uma melhor qualidade de vida e a educação de adultos passa a ter relevância. A ênfase não é mais na reeducação mais na educação total. O PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL numa instituição de nível superior atuará no desaparecimento do sintoma e na possibilidade do sujeito aprender normalmente em condições melhores, enfatizando a relação que ele possa ter com a aprendizagem, ou seja, que o sujeito seja o agente da sua própria aprendizagem e que se aproprie do conhecimento. A PSICOPEDAGOGIA encontra-se em processo de maturação, como afirma o professor Lino de Macedo

"a PSICOPEDAGOGIA é uma (nova) área de atuação profissional que tem , ou melhor , busca uma identidade e que requer uma formação de nível interdisciplinar, o que já é sugerido no próprio termo PSICOPEDAGOGIA (Bossa, 1995 , p. 31)

OS PSICOPEDAGOGOS INSTITUCIONAIS nas instituições de nível superior irão trabalhar as relações hierárquicas, a parceria , como as pessoas se comunicam o que é dito e o não dito. É imprescindível trabalhar o homem com sua relação consigo mesmo e com o mundo visando a melhoria da instituição , a instituição como parceria, não como rival... O processo de construção do trabalho do PSCIOPEDAGOGO INSTITUCIONAL numa instituição de nível superior é gradual pois não se trata de simples reprodução pois , importa coordenar operações no sentido da reversibilidade do sistema do conjunto

" é preciso tempo para interiorizar as ações em pensamento, porque é muito mais difícil representar o desenvolvimento da ação e dos seus resultados em termos de pensamento do que limitar-se à execução material (...) a interiorizarão das ações supõe, assim, a sua reconstrução sobre um novo plano..." Piaget, p. 39[7]

Especificamente o PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL no terceiro grau poderia priorizar em sua atuação:

· a intervenção visando a solução dos problemas de aprendizagem tendo como enfoque o aprendiz ou a instituição de ensino

· realização do diagnóstico e intervenção psicopedagógica utilizando métodos , instrumentos e técnicas próprias da Psicopedagogia

· desenvolvimento de pesquisas e estudos científicos relacionados ao processo de aprendizagem e seus problemas

· oferecer assessoria psicopedagógica aos trabalhos realizados no espaço da instituição

· orientar, coordenar e supervisionar as questões de ensino aprendizagem decorrentes da estrutura curricular

· acompanhar e interferir na relação professor - aluno nos aspectos subjetivos

· reorientar nas questões vocacionais

· assessorar e orientar no cumprimento do Projeto Pedagógico

· acompanhar a implementação e implantação de nova proposta metodológica de ensino

· promover encontros socializadores entre corpo docente , discente, coordenadores, corpo administrativo e de apoio e dirigentes

· acompanhar alunos com dificuldades de aprendizagem

· cooperar na correção de funções cognitivas deficientes

· ajudar na aquisição de conceitos básicos

· proporcionar momentos de reflexão sobre a ação educativa

· mediar a passagem de uma atitude passiva - reprodutora de informação para a autogeradora

Diante do exposto percebe-se que, a instituição educacional é uma unidade social empenhada em concretizar desejos comuns já instituídos no contexto no qual esta inserida. Nesta atividade, grupos interagem nas dimensões administrativas, sociológicas , pedagógicos proporcionando a circulação dos saberes de uma dada cultura, revelando-se através de um conjunto de signos que expressam e regulam a ação de educar com o objetivo de facilitar a inserção das indivíduos no meio social. Percebe-se, na especificidade da instituição educacional como um todo, a interação que se dá nas dimensões do sujeito do conhecimento e do outro. E é na convergência destas dimensões , neste novo espaço proporcionado através da interação, que se manifesta e subsiste a instituição educacional e se instaura a necessidade de um profissional que interprete o fenômeno aprendizagem - o PSICOPEDAGOGO INSTIUCIONAL. É ele que a partir de uma macro visão da instituição, como um todo, proporcionada através do diagnóstico psicopedagógico institucional que a poderá tomar decisões mais acertadas nos momentos de crise. A previsão de tais momentos e as estratégias para evitá-los e ainda o adequado planejamento culminarão para o alcance dos objetivos da instituição. Evidencia-se assim, ser esta uma atividade constante na faculdade, principalmente em virtude da característica dinâmica do modelo de instituição.

MARINALVA BATISTA DOS SANTOS NEVES

Pedagoga, Psicanalista, Psicopedaoga Membro da Associação Brasileira

de Psicopedagogia

Paulo Freire o Pai da Pedagogia

Paulo Freire : Biografia resumida - O caminho de um Educador


Nasceu em Recife em 1921 e faleceu em 1997. É considerado um dos grandes pedagogos da atualidade e respeitado mundialmente. Em uma pesquisa no Altavista encontramos um número maior de textos escritos em outras línguas sobre ele, do que em nossa própria língua.
Embora suas idéias e práticas tenham sido objeto das mais diversas críticas, é inegável a sua grande contribuição em favor da educação popular.
Publicou várias obras que foram traduzidas e comentadas em vários países.
Suas primeiras experiências educacionais foram realizadas em 1962 em Angicos, no Rio Grande do Norte, onde 300 trabalhadores rurais se alfabetizaram em 45 dias.
Participou ativamente do MCP (Movimento de Cultura Popular) do Recife.
Suas atividades são interrompidas com o golpe militar de 1964, que determinou sua prisão. Exila-se por 14 anos no Chile e posteriormente vive como cidadão do mundo. Com sua participação, o Chile, recebe uma distinção da UNESCO, por ser um dos países que mais contribuíram à época, para a superação do analfabetismo.
Em 1970, junto a outros brasileiros exilados, em Genebra, Suíça, cria o IDAC (Instituto de Ação Cultural), que assessora diversos movimentos populares, em vários locais do mundo. Retornando do exílio, Paulo Freire continua com suas atividades de escritor e debatedor, assume cargos em universidades e ocupa, ainda, o cargo de Secretario Municipal de Educação da Prefeitura de São Paulo, na gestão da Prefeita Luisa Erundina, do PT.
Algumas de suas principais obras: Educação como Prática de Liberdade, Pedagogia do Oprimido, Cartas à Guiné Bissau, Vivendo e Aprendendo, A importância do ato de ler.

terça-feira, 19 de maio de 2009

A Todos o que fazem a Escola Maria Edilce

Há três anos ingressava aqui, nesta função, uma mulher ávida por aprender tudo, resolver qualquer problema e enaltecida por aquela doce ingenuidade, ilusão e paixão costumeiras dos principiantes na função.
Os desafios nesse tempo todo foram muitos.Muitas vitórias, algumas conquistas, algumas derrotas, decepções...O entusiasmo e a euforia deram lugar a experiência...
E é a experiência adquirida que nos levar a refletir sobre tudo o que de bom e de ruim aconteceu conosco durante o tempo que estivemos juntos nesta função. E ela nos diz que valeu a pena cada minuto vivido aqui, com vocês.
Como me disse certa vez minha chefe e amiga Diretora geral Eunice Alves: "Nessa vida a gente tem que experimentar de tudo um pouco....!
Valeu a experiência e com os erros, acertos e muito aprendizado, acreditamos que conseguimos nos guiar em alguns momentos da nossa caminhada pela diretrizes traçadas.
Queremos agradecer a colaboração de todas e de todos àqueles que estiveram sempre dispostos a ajudar, seja opinando, sugerindo, pesquisando e afirmar que nada do que alcançamos foi feito sem a participação,o entusiasmo, as críticas ,a competência e habilidade de cada um de vocês.
Apesar de todas as dificuldades("como é dificil termos e mantermos compromisso e responsabilidade nessa nossa profissão, muito trabalho, muita cobrança, muitas críticas, muita reclamação e o "eterno puxão de orelha") foi um enorme prazer sermos, de certa forma, contribuintes e responsáveis pela realização de momentos tão marcantes, especiais e decisivos.
Assim como nossa gestão incorporou avanços de gestões anteriores, estou certa de que nosso trabalho terá continuidade sobretudo pela ação de vocês junto a nova Coordenação Pedagógica.
Por isso venho, de coração, agradecer a todos e a todas que contribuiram e nos ajudaram nessa escala da nossa vida profissional. Aos quais desejamos; tudo de bom, muita sorte e que cada um possa ser feliz naquilo que venham a fazer.
Continuaremos em contato só que agora com a minha pessoa exercendo uma outra função.

Obrigada por tudo Feliz Ano Novo!

Maria Elienice Rabelo Silva
Coordenadora Pedagógica
Dez de 2008
OBS:Texto de despedida entregue a todos que faziam a Escola Maria Edilce no final de 2008

Escola é...

"Escola é...

o lugar onde se faz amigos

não se trata só de prédios, salas, quadros,

programas, horários, conceitos...

Escola é, sobretudo, gente,

gente que trabalha, que estuda,

que se alegra, se conhece, se estima.

O diretor é gente,

O coordenador é gente, o professor é gente,

o aluno é gente,

cada funcionário é gente.

E a escola será cada vez melhor

na medida em que cada um

se comporte como colega, amigo, irmão.

Nada de ‘ilha cercada de gente por todos os lados’.

Nada de conviver com as pessoas e depois descobrir

que não tem amizade a ninguém

nada de ser como o tijolo que forma a parede,

indiferente, frio, só.

Importante na escola não é só estudar, não é só trabalhar,

é também criar laços de amizade,

é criar ambiente de camaradagem,

é conviver, é se ‘amarrar nela’!

Ora , é lógico...

numa escola assim vai ser fácil

estudar, trabalhar, crescer,

fazer amigos, educar-se,

ser feliz."
Fonte(s):
http://www.paulofreire.org/escola_p.htm

Mensagem de Fim de Ano

MENSAGEM DE FIM DE ANO

Todos os anos, nós buscamos renovar as forças para prosseguir realizando os pequenos sonhos que nos fazem crescer. Torná-los reais são novamente nossos objetivos mais importantes e cruciais. Mais um ano termina e um novo começa outra vez e rogamos a Deus que ele nos traga tudo de bom para nós, para nossa família, para os amigos...
Também é o momento para fazemos um balanço do que conseguimos ou não realizarmos seja na nossa vida profissional ou pessoal, o que importa mesmo é que se tentamos mas não conseguimos pelo menos fizemos algo, não nos deixamos levar pelo marasmo do comodismo.
Que no ano de 2008 tenhamos mais uma vez a oportunidade de continuarmos tentando alcançar nossos objetivos, pondo em prática nossos projetos de vida seja no campo afetivo ou profissional.
E você? É você mesmo! Estou falando com você, Já definiu suas metas para o ano novo? Não? Já está na hora! Alias já passou da hora de você começar a se planejar para 2008.
Que não nos esqueçamos de agradecer por tudo que conquistamos em 2008. Isso mesmo faça isso agora.
Tudo de bom para todos e que Deus continue a iluminar os nossos passos até quando ele assim o desejar.
Feliz ano novo.......

Elienice Rabelo
Coordenadora Pedagógica
01 de dezembro de 2008

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

O Uso das Tecnologias em Minha Vida

O uso de tecnologias desde a criação do mundo tem revolucionado a vida do homem e ajudado e muito no nosso cotidiano. Ao fazer uso de tecnologias, observamos que elas facilitam o nosso dia-a-dia, seja no trabalho ou em casa.
Aprendi a utilizar o computador especificamente, a mais ou menos uns três anos através da necessidade para melhor realizar o meu trabalho, aos poucos fui perdendo o medo de abri-lo e observando as outras pessoas fui perguntando e tirando as dúvidas com alguém que já tivesse conhecimento. Sabendo que a cada dia vão sendo criado e renovado o seu uso,tornar-se necessário que estejamos sempre nos atualizando e reformulando conceitos e atitudes para que possamos acompanhar as novas mudanças que estão por vir.
O uso do computador nos dias de hoje tornou-se quase que indispensável para nossa vida, desde a comunicação via internet ( msn, emailetc) até o controle do tráfico aério do qual como sabemos a maioria das pessoas necessitam.
No meu trabalho hoje o uso do computador, principalmente a internet tornou viável a comunicação entre as pessoas. O repasse de informação de dados, a troca de informação, cursos e capacitações a distância, envio e recebimento de email, documentos que recessitam de urgência de resposta etc. tudo isso pode ser feito via computador, o que antes era realizado pelos correios e a maioria das vezes quando chegava ao destino já estava com a data de recebimento e envio de resposta bastante atrasada.

Prof. Elienice Rabelo
Novembro/2008